DiaaDiaES.com.br

Victor Coelho diz que vai cortar o próprio salário e o dos secretários

Após a repercussão negativa da decisão de demitir mais de 1.500 professores em designação temporária e estagiários da Secretaria Municipal de Educação de Cachoeiro de Itapemirim, o prefeito Victor Coelho voltou atrás, irá manter os servidores, mas disse que será necessário cortar na carne por conta da crise financeira gerada pela pandemia de Covid-19. Ele disse que vai propor a redução do próprio salário e de seus secretários.

“Quando o momento é crítico, fazemos nossa parte e vamos cortar na própria carne. Além de revogar a demissão dos professores DTs e propor a indenização de sobreaviso de um salário mínimo até o retorno das aulas, iremos propor a redução do meu próprio salário e de secretários, além da suspensão do tíquete dos comissionados, enquanto perdurar a pandemia”, afirmou o prefeito.

O salário de Victor Coelho hoje é de R$ 14.450. Já os secretários recebem um subsídio no valor de R$ 7.359,80, segundo dados do Portal de Transparência.

Outra medida que será implementada é o corte de gratificações pagas a servidores participantes de comissões e grupos técnicos de trabalho.

Após reunião de urgência com representantes da Câmara Municipal na tarde desta quinta-feira (16), ficou decidido que os DTs serão mantidos em sobreaviso, recebendo um salário mínimo mensal, até que as aulas sejam reiniciadas.

De acordo com a Secretaria Municipal de Fazenda (Semfa), a previsão é de que o município tenha uma queda de arrecadação de até R$ 80 milhões em 2020, sendo que cerca de R$ 50 milhões são fontes de receita do Tesouro Nacional.

Confira o vídeo.

Carregando....