fbpx
DiaaDiaES.com.br
Clientes do lado de fora do supermercado Casagrande esperam seus acompanhantes fazerem compras. Foto: Daniel de Paula
Cachoeiro Geral Saúde

Supermercados limitam entrada de clientes em Cachoeiro

Os supermercados de Cachoeiro terão de limitar o acesso de clientes e criar um horário específico para atendimento de idosos. A determinação é da Prefeitura de Cachoeiro de Itapemirim, que reviu na última terça-feira (24) a forma de controle de entrada das pessoas com mais de 60 anos nesses estabelecimentos, definida por decreto na segunda-feira (23), com o objetivo de protegê-las dos riscos de contágio pelo novo coronavírus.

Outra alteração para os supermercadistas é admitir o ingresso de pessoas até o limite de 40% da capacidade do estabelecimento. A prefeitura ainda mudou a regra para atendimento nos caixas, ampliando de três para cinco o limite de pessoas por caixa aberto.

“Flexibilizamos algumas das determinações, em atendimento às reivindicações dos idosos e dos representantes do setor supermercadista, e, por outro lado, empregamos mais rigor no controle da quantidade de pessoas nos estabelecimentos, uma vez que tem sido grande o movimento nesses locais e precisamos evitar a formação de aglomerações”, explica o prefeito Victor Coelho.

Impacto

Desde terça-feira, os supermercados da cidade começaram a limitar o acesso de clientes nas lojas e registraram queda nas vendas. Sandro Santana Cunha, 50 anos, proprietário do Smart Supermercados do bairro Independência, por exemplo, já sentiu o impacto.

“A situação está complicada. A maioria dos nossos clientes tem acima de 60 anos. Eles estão conscientes e não estão vindo. O que está nos salvando é o delivery. Mesmo assim, o movimento caiu 70%”, afirma.

Várias pessoas estavam em fila do lado de fora do supermercado esperando seus parceiros, amigos ou parentes fazerem suas compras. Yago Paula de Sá, subgerente do supermercado Casagrande, do bairro Guandu, também disse que as vendas caíram.

“Tudo é novo e estamos nos adaptando. As vendas já caíram cerca de 30%”, conta.

Uma das pessoas que não entrou no supermercado foi Vera Lúcia Bravim, 66 anos: “Não pude entrar no supermercado, mas gostei. Se é para evitar contágio, vamos levar a sério. Meu irmão de 46 anos entrou e está fazendo as compras para ele e para mim”.

O Casagrande colocou uma equipe de máscaras para limitar a entrada das pessoas no supermercado. Uma das pessoas impedidas de entrar foi uma jovem de 15 anos que estava acompanhada de seu namorado. “Meu namorado entrou para fazer compras e eu tive que ficar aqui fora esperando. A gente tem que prevenir mesmo”, disse Jenifer Godoy.

O supermercado Perim, no bairro Santo Antônio, estava, assim como outros, oferecendo álcool gel logo na entrada. Também tinha uma pessoa para limitar a entrada ao estabelecimento, segundo explicou o gerente Marcos Bravim, 50 anos.

“Estamos fazendo de tudo para atender as portarias. Sabemos quantos metros quadrados de loja nós temos, então ficamos de olho no limite de clientes que podem ou não entrar na loja para que não haja aglomeração. Pedimos às pessoas que venham sozinhas com as listas prontas”, conta.

Medidas

Outros comerciantes estão bastante descontentes com as medidas, como Sérgio Araújo dos Santos, 57 anos, proprietário do supermercado Folha Verde do bairro Aquidaban.

“Essa portaria está acabando com o comércio. Daqui a pouco vamos ficar de portas abertas só para fazer de conta que estamos atendendo alguém. Quanto à portaria que limita a entrada de pessoas, já estava assim, agora está oficializado. Quero ver como que faz para pagar 50 empregados com um cliente por vez no supermercado”, afirma.

Carregando....