DiaaDiaES.com.br
Área reflorestada foi devastada pelo fogo. Foto: Facebook/Sítio Jaqueira

Sítio símbolo da agroecologia no Caparaó pede socorro após incêndio

O incêndio que aconteceu na última sexta-feira (11), em Alegre, destruiu cerca de 30 hectares (o equivalente a 300 mil metros quadrados) de uma área reflorestada do Sítio Jaqueira, um dos símbolos da agroecologia do Caparaó capixaba. Para se reerguer e tentar recuperar o prejuízo, uma vaquinha virtual no valor de R$ 15 mil está sendo realizada para arrecadar recursos para retomar o projeto.

O fogo consumiu cerca de 90% da área, onde estavam plantadas árvores nativas, como aroeira, ingá, pau-ferro, imbaúba, entre outras.

De acordo com Newton Campos, ambientalista responsável por cuidar do Sítio Jaqueira, o local funciona como uma instituição de educação ambiental e capacitação em “plantio de água”, agroecologia, sistema agroflorestal e bioconstrução. O nome da propriedade é uma referência à gigantesca jaqueira centenária que fica próxima à sede da propriedade.

Incêndio no Sítio Jaqueira Agroecologia

Ajude a recuperar o Sitio Jaqueira AgroecologiaEnvie sua doação para:http://vaka.me/1376104 Ações de mutirão de trabalho serão divulgadas em breve em nossas redes sociais.Para outras formas de ajuda, envie mensagem para Newton Campos (28) 999783797.Gratidão!

Posted by Sítio Jaqueira Agroecologia on Tuesday, September 15, 2020

Newton Campos, que tem 62 anos, disse que o objetivo emergencial da vaquinha é colocar a cerca no lugar para evitar problemas com propriedades que criam gado, fazer o reflorestamento na área atingida e proteger a nascente, pois ela abastece de água seis casas na região.

“Nosso maior tesouro é a água! Cuidamos dela com todo carinho e atenção, sendo o plantio de água um de nossos mais importantes trabalhos. Por isso, um dos nossos objetivos mais urgentes é proteger a nascente”, afirma o ambientalista.

Newton Campos e a área reflorestada no Sítio Jaqueira, em foto tirada antes do incêndio. Foto: Alessandro de Paula

Até o final da manhã desta quarta-feira (16), a vaquinha já tinha ultrapassado a casa dos R$ 12,5 mil. O objetivo é arrecadar R$ 15 mil.

Acesse o link para ajudar

Segundo Newton Campos, Alegre não possui Corpo de Bombeiros nem brigadistas preparados para atuar em incêndios florestais, o que teria contribuído para a demora em conter as chamas. Depois que os militares chegaram, ainda foram necessárias mais 4 horas para o fogo ser controlado.

Trabalho para controlar as chamas levou 4 horas. Foto: Internauta

“Quando o sítio estava pegando fogo, só apareceram alunos e professores da Ufes e do Ifes, a quem sou extremamente grato. Idaf e Bombeiros só chegaram muito tempo depois. Também não tem brigadistas na cidade. Agora, o alegrense eu conto no dedo. Três, quatro pessoas apareceram para ajudar”, disse Newton, emocionado ao se lembrar do incêndio.

O outro lado

Em nota, o Corpo de Bombeiros informa que foi acionado às 13h06, por solicitantes, que informavam um incêndio em vegetação não nativa na localidade de Pavuna, em Alegre.

Leia mais: Bombeiros controlam incêndio em área de floresta em Alegre

“A Defesa Civil municipal, que atua em parceria com a corporação em locais em que não há uma unidade física dos Bombeiros, foi acionada para verificar as proporções das chamas. Após o retorno dos funcionários do município da necessidade de envio de guarnição, uma viatura se deslocou de Guaçuí às 13h30, chegando ao local do incêndio às 14h20, tempo de deslocamento considerado comum em qualquer ocorrência. A área era de difícil acesso, com terreno elevado e foi necessário o uso de abafadores, com foco nos locais mais próximos a residências. O combate, que contou com o apoio de funcionários da prefeitura e populares, durou cerca de 4 horas, visto que a ocorrência foi encerrada às 18h30, com as chamas controladas e nenhum tipo de risco à população local”, diz a nota.

Chamas consumiram a vegetação. Foto: Facebook/Sítio Jaqueira

O Corpo de Bombeiros informa que possui projeto para implantação de postos avançados em todas as regiões do Espírito Santo: “Mas ainda não há definição dos municípios a serem contemplados. Um estudo está sendo realizado para identificar os locais com maior necessidade e o resultado será anunciado posteriormente pelo governo do Estado”.

Carregando....
%d blogueiros gostam disto: