DiaaDiaES.com.br
A vereadora Renata Fiório é candidata a prefeita de Cachoeiro. Foto: Assessoria/Renata Fiório

Renata Fiório pede afastamento de secretários após operação da polícia

A vereadora e candidata a prefeita Renata Fiório (PSD) protocolou nesta terça-feira (6) um pedido de afastamento de Vander Maciel, chefe da Secretaria Municipal de Serviços Urbanos (Semsur); e da secretária Cristina Lens, dirigente da Secretaria Municipal de Educação (Seme); após a Operação Snack Zero, deflagrada pela Polícia Federal no mês de setembro, em Cachoeiro de Itapemirim.

A investigação apura desvios de recursos da merenda escolar, compra de mantimentos vencidos, além da participação de empresas no superfaturamento de mercadorias e tabelamento de preços combinado.

Os parlamentares Alan Ferreira, Diogo Lube e Antônio Geraldo demonstraram apoio ao pedido da vereadora.

Além da solicitação de afastamento, Renata quer saber do prefeito Victor Coelho quais documentos foram levados pela polícia, quantos computadores e de quais setores, bem como sobre as notícias que a mídia divulgou a respeito da apreensão dos aparelhos eletrônicos do secretário Vander Maciel e qual a relação dele a da secretária no caso.

Segundo Renata, a intenção do pedido de afastamento é evitar que ocorra embaraços durante as investigações. De acordo com matérias veiculadas à época por site de notícias, a prefeitura afastou uma servidora e um outro investigado já havia sido exonerado no ano passado, mas ambos secretários continuaram atuando.

Antes disso, Renata Fiório já havia protocolado outros requerimentos, sendo eles, informações sobre empresas responsáveis pelo fornecimento de merenda escolar no âmbito municipal, valores contratados, quais contratos recebem verbas federais e se há no quadro de diretores indícios de nepotismo.

Logo depois, a parlamentar requereu à Secretaria de Educação informações sobre acondicionamento correto das caixas que guardam frutas, verduras e legumes em pallets, aquisição de ratoeiras químicas para a parte externa do depósito de merenda escolar e afixação de placas de “proibido fumar” dentro dos locais onde ficam os alimentos. E, por último, esclarecimentos sobre a qualidade dos alimentos fornecido aos alunos.

O outro lado

Por meio de nota, a Prefeitura de Cachoeiro informa que “acompanha os desdobramentos do caso, por meio da Procuradoria-Geral do Município, e continua à disposição das autoridades, vez que trabalha com total transparência e respeito ao dinheiro público. As investigações não dizem respeito à secretária de Educação, Cristina Lens, e ao secretário de Serviços Urbanos, Vander Maciel, sequer citados no processo”.

Carregando....
%d blogueiros gostam disto: