DiaaDiaES.com.br
Mirian do Baldo, vereadora de Presidente Kennedy. Foto: Alessandro de Paula

O estranho caso das notas falsas em Presidente Kennedy

Presidente Kennedy é um município que merece ser estudado. Coisas estranhas acontecem por lá. O último fato foi um envelope com cerca de R$ 1 mil em notas falsas de R$ 20 que chegou para a vereadora Mirian Jesus de Faria, mais conhecida como Miriam do Baldo (DEM).

A vereadora foi detida em flagrante na última quinta-feira (30) e conduzida para a Delegacia de Polícia Federal de Cachoeiro de Itapemirim com mais três pessoas, que seguiram como testemunhas, sua irmã e dois funcionários da Câmara Municipal.

Antes mesmo da chegada do envelope, a Polícia Civil e a Polícia Militar já estavam cientes. Informações extraoficiais são de que os Correios haviam detectado a presença de notas supostamente falsas após passar pelo escâner e comunicado às autoridades.

No entanto, a Polícia Militar e a Polícia Civil não esclareceram o caso, justificando que é de competência da Polícia Federal. O órgão federal também foi procurado, mas, por meio da assessoria de imprensa lamentou “não poder confirmar os dados demandados”.

Com relação ao envelope, a vereadora alegou que aguardava uma caixa de tênis, um presente que seria para seu sobrinho. Ela disse que pediu para uma assessora da Câmara ir buscar na agência dos Correios.

A funcionária pegou a suposta encomenda e a levou para a Câmara Municipal, porém, já no prédio público, a vereadora se surpreendeu com um envelope, no lugar da caixa. E junto com a funcionária chegou também um investigador da Polícia Civil que lhe deu voz de prisão.

O policial havia acompanhado a servidora desde a agência dos Correios e flagrou o momento exato da entrega do envelope.

A reportagem conseguiu falar com a vereadora depois de 21h23. Ela estava em casa, depois de passar a tarde e parte da noite na delegacia prestando declarações para a polícia.

“Eu sabia que haveria perseguição política, mas não pensei que seria nesse nível. Foi uma armação. Tenho oito anos de vida pública. Eu não iria sujar minha carreira por causa de R$ 1 mil em notas falsas”, justificou.

Na sexta-feira (1º), a vereadora emitiu nota oficial. Leia abaixo:

“À toda sociedade kennedense e órgãos de imprensa,

A respeito dos fatos noticiados pela imprensa estadual no dia de ontem, venho informar.
Exerço pela segunda vez o mandato de vereadora em Presidente Kennedy, sempre atuando de forma independente na busca de melhores condições de vida e trabalho para a população kennedense e jamais me esquivando de combater a corrupção em nosso município, realizando diversas denúncias contra poderosos grupos empresariais e renomados políticos da região.

Na manhã de ontem, enquanto realizava meu trabalho na Câmara Municipal, fui surpreendida ao ser abordada e conduzida por policiais até a Delegacia de Polícia Federal de Cachoeiro de Itapemirim, onde fui injustamente acusada de receber correspondência postal com moedas falsificadas.

Esclareço à toda sociedade que jamais pratiquei ato ilícito, pautando minha vida pessoal na simplicidade, em padrão de vida sempre condizente com os subsídios que recebo em razão do exercício de meu mandato parlamentar, o que é de conhecimento de todos.

A correspondência endereçada à minha família sem indicação de remetente foi ardilosamente elaborada e preparada com o único objetivo de fazer chegar em minhas mãos objeto criminoso que jamais foi de minha responsabilidade ou de qualquer um dos meus familiares.

Com a graça de Deus, houve luz sobre a verdade e ainda ontem fui liberada pela Polícia Federal, e já nesta mesma noite pude estar ao lado de minha família, onde juntos podemos louvar o nome do Senhor por esta graça.

Fui vítima de emboscada dirigida contra mim e minha família, fruto de minha atuação dura e contundente contra a corrupção praticada pela elite poderosa que, a todo custo, tenta fazer-se perpetuar no poder e no enriquecimento às custas da miséria da grande parte da população.

Foram diversas denúncias realizadas por mim neste período em que estou vereadora.
Pronunciamentos na tribuna da Câmara, ofícios ao Ministério Público, protocolos ao Tribunal de Contas do Estado, etc, afetando diretamente interesses de políticos e empresários que atuam neste município.

Não me deixarei intimidar, prosseguirei firme e inabalável em meu compromisso com os que me elegeram e com toda a população de Presidente Kennedy. Continuarei denunciando as injustiças e os atos de corrupção, os contratos superfaturados às custas de serviços precários e da violação de direitos sociais e péssimas condições de vida do povo. Custe o que custar, doa a quem doer!

Agradeço a todos que, desde a noite de ontem, têm me enviado a sua mensagem de solidariedade e de apoio, ressaltando a sua confiança em meu trabalho e na minha honestidade.

Muito Obrigado!

Não tenho nada a ocultar ou a esconder. Provarei na justiça a minha completa inocência e lutarei pela responsabilização dos verdadeiros culpados por este atentado contra a minha honra e dignidade.

Presidente Kennedy, ES, 01 de maio de 2020.

Mirian Jesus de Faria”

Carregando....