DiaaDiaES.com.br
Cris Samorini durante webinar. Foto: Findes

Findes destaca a importância da nova Lei do Gás para a redução de preços

O novo mercado de gás e suas perspectivas e oportunidades foi tema de webinar promovida pelo Fórum Capixaba de Petróleo e Gás (FCP&G) nesta sexta-feira (21). Participaram cerca de 180 pessoas, entre industriais, representantes de entidades e profissionais do setor, para destacar os impactos e os benefícios advindos com a aprovação da nova Lei do Gás (PL 6.407/13).

Na ocasião, a presidente da Findes, Cris Samorini, ressaltou que o Brasil possui um dos preços mais altos na comercialização de gás natural entre os países do G20. O preço do gás gira entre 3 e 8 dólares para países como Argentina, Estados Unidos, México, Austrália e países da Europa. No Brasil, o valor é de 14 dólares.

“Já mencionamos em outros eventos que o gás natural tem enorme peso na composição de custos de vários setores da indústria, como mineração, celulose, fertilizantes, petroquímico, siderurgia, vidro e cerâmica, alimentos e bebidas. A nova lei vai permitir a redução do preço, com estímulo à concorrência. Estamos no rumo certo para a recuperação econômica”, disse Cris Samorini.

O governador Renato Casagrande participou do seminário e falou que o principal objetivo do governo é tornar o Espírito Santo mais competitivo, eficiente, justo, sustentável e inovador.

“O gás natural vem mostrando-se como um diferencial competitivo cada vez mais importante para a indústria, fonte relevante também na atração de investimentos”, disse Casagrande.

“O trabalho que fazemos com a Federação das Indústrias é de muita parceria que nos traz muitos bons resultados. E o intuito é trabalharmos como um bloco só, como um único movimento no estado, especialmente para que consigamos atrair atividades empreendedoras, novos empreendedores e investimentos na área do petróleo e gás”, acrescentou.

Estímulo à concorrência

A nova lei vai permitir a redução do preço, com estímulo à concorrência, possibilitando investimentos industriais de R$ 95 bilhões por ano nos próximos 5 anos, segundo cálculos da CNI. Já a Abrace prevê geração de 4 milhões de empregos no país, no período de 10 anos, sendo 15,6 mil somente no Espírito Santo.

O evento contou com apoio da IBP – Instituo Brasileiro de Petróleo, Gás e Biocombustíveis, da EPE – Empresa de Pesquisa Energética, e da Associação dos Grandes Consumidores Industriais de Energia e de Consumidores Livres (Abrace).

Carregando....
%d blogueiros gostam disto: