fbpx
24.8 C
Vitória
terça-feira - 12 de novembro de 2019
DiaaDiaES.com.br
Evento de abertura das atividades do projeto de ressocialização. Foto: Santa Casa de Misericórdia Cachoeiro/Divulgação

Detentas começam a trabalhar na fazenda da Santa Casa de Cachoeiro

Detentas da Penitenciária Regional Feminina de Cachoeiro começaram a trabalhar na Fazenda da Santa Casa de Misericórdia do município. Durante os próximos 12 meses, elas estarão envolvidas nas atividades que fornecem alimentos como hortifrutigranjeiros, ovos e carne, que serão preparados para as refeições de pacientes e funcionários do hospital.

Cinco internas foram incluídas na iniciativa, que faz parte do projeto “Cuidar de Vidas”, desenvolvido pela instituição de saúde para a ressocialização e a inclusão no mercado de trabalho.

Um encontro promovido na última segunda-feira (19) marcou a abertura oficial do projeto. O evento contou com a presença do superintendente da Santa Casa, padre Evaldo Ferreira, e da diretora do presídio, Leida Maria Ayres, além de representantes da pastoral Carcerária, Cáritas Diocesana e Sicoob Credirochas.

Salário

Cada detenta vai receber um salário mínimo por mês, sendo que 50% são destinados para a família e o restante, para uma poupança que poderá ser sacada quando a pena for cumprida.

Além disso, a cada 15 dias suas famílias vão ganhar uma cesta básica dos produtos da horta da fazenda. As despesas com o salário serão arcadas por meio de uma parceria entre a Santa Casa e o Sicoob Credirochas.

Padre Evaldo Ferreira frisou a importância do envolvimento da sociedade nesse esforço de ressocialização: “Essas detentas vão ter uma oportunidade de trabalhar, gerar renda, e ainda contribuir com sua mão de obra para produzir os alimentos para o hospital e também o lar dos idosos. E esse projeto não seria possível sem o apoio dos empresários do nosso município”.

Na avaliação do presidente do Sicoob Credirochas, Talles Machado, o projeto está muito bem estruturado, indicando que será muito bem-sucedido.

“É um projeto bonito e com um objetivo muito positivo. Mexe com o coração da gente a oportunidade que as detentas estão recebendo. Vimos a alegria no rosto delas. É um projeto tem muita dedicação, estudo e planejamento. Vai trazer muitos pontos positivos. Estamos muito satisfeitos de poder contribuir.”

Capacitação

O administrador da Fazenda, Sergio Mariano, informou que a expectativa é que a propriedade gere uma economia de R$ 1 milhão por ano para o hospital. Ele reforçou ainda importância da capacitação dessas mulheres.

“O fator primordial é fazer com que elas possam sair daqui com a garantia de que podem trabalhar em diversas áreas com apicultura, horticultura, avicultura e piscicultura”, declarou.

Além da oportunidade de trabalho, as internas terão acompanhamento psicopedagógico, técnico, jurídico, médico, social e espiritual, feito por agentes voluntários capacitados nestas respectivas áreas de atuação.

Ao fim do processo, cada trabalhadora receberá um certificado emitido pela Secretaria de Ensino e Pesquisa da Santa Casa, constando as horas de serviço em cada modalidade.

Carregando....
%d blogueiros gostam disto: