DiaaDiaES.com.br
Foto ilustrativa: Pixabay

Confira uma lista de alimentos que podem influenciar na saúde mental

Você sabia que o que você come pode interferir na nossa saúde mental? Com o início de setembro e da campanha de conscientização para a prevenção do suicídio, por meio do Setembro Amarelo, o setor de Nutrição do Hospital Estadual Infantil e Maternidade Dr. Alzir Bernardino Alves (Himaba), em Vila Velha, administrado pelo Instituto Gnosis, aponta uma série de dicas que podem influenciar para um maior bem-estar da mente.

O cérebro pode estar precisando de um suporte nutricional e a falta de vitaminas do complexo B e os possíveis gatilhos na alimentação, como excesso de farinhas brancas, açúcar, alimentos industrializados ou cafeína em excesso, costumam gerar no organismo um processo inflamatório.

O alto consumo destes alimentos está relacionado aos sintomas, como alteração de humor, falta de memória, déficit de atenção, hiperatividade, depressão, ansiedade, sono alterado, cansaço excessivo e dores de cabeça.

Para “alimentar bem” o seu cérebro, a nutricionista do Himaba, Lívia Nunes Moreira, listou algumas dicas: “Consuma boas fontes de gorduras, como abacate, castanhas, azeite, sementes e peixes ricos em ômega 3 (sardinha, salmão selvagem). Inclua ainda na sua dieta boas fontes de antioxidantes, que melhoram a circulação e previnem o envelhecimento celular, como cúrcuma, açaí, frutas vermelhas, chás (hibisco, chá verde, por exemplo) e vegetais verdes; e controlam o estresse”, explicou.

A profissional esclarece ainda que o excesso de cortisol (hormônio liberado em períodos de estresse) pode provocar a morte de neurônios e prejudicar áreas do cérebro relacionadas à memória, concentração e humor. “Técnicas de meditação e respiração podem ajudar a controlar os níveis de estresse, bem como atividades como o yoga”, afirmou Lívia Nunes.

Confira algumas dicas

• Consumir uma quantidade adequada de proteína é fundamental, já que a função cerebral depende de neurotransmissores que são dependentes dos aminoácidos, presentes principalmente nas proteínas.

• Exercite-se. Estudos mostram que pessoas que praticam atividade física retardam a redução do hipocampo, parte do cérebro responsável pela memória.

• Evite glutamato monossódico presente no molho shoyo e em outros produtos industrializados, uma vez que funciona como um neurotransmissor ao cérebro, que pode levar à agitação extrema e elevação dos níveis de estresse. Leia sempre os rótulos dos alimentos para identificar esse composto.

Carregando....
%d blogueiros gostam disto: